Diva e as Tribos Urbanas Parte 1- O Hipster

Tenho sido alvo de críticas pelas crónicas que tenho escrito sobre a população beta, à qual me refiro com alguma regularidade. Se me acompanham, percebem que esta raça me causa alguma espécie e que faço o possível para evitar os locais por onde andam os seus nativos. Não gosto deles, pronto. Tenho dito. Shoot me.

Contudo, isto não significa que seja apologista de quaisquer outras tribos urbanas que por aí andam. Muito pelo contrário. Sempre me irritaram estilos demasiadamente assumidos que levam a comportamentos estereotipados e pouco flexíveis.

Faz-me algum sentido a  afirmação da personalidade de cada um através do que veste, não fosse eu uma Diva apaixonada por trapos. O que realmente não me diz nada, são as regras que aparentemente os pertencentes a estas tribos têm que cumprir para continuar a respirar dentro do seu rebanho.

Hoje, vamos dedicar-nos ao manual de normas que deve ser cumprido pelo Hipster: 

. É obrigado a ir, pelo menos, a duas exposições de arte por mês, mesmo que a obra em questão não lhe diga absolutamente nada.

. Se não é licenciado em nenhum curso que dá automaticamente acesso ao grau de Hipster, como sendo Artes Plásticas, Cinema ou Música, deverá ocultar a sua formação, em prol da boa integração na comunidade.

. Apenas está apto a frequentar o Cinema Ideal, o Nimas, e em último caso, o Monumental. Uma ida ao Colombo significa expulsão automática. Ver as 50 Sombras de Grey, o exílio.

. Teatro, só pode ir ao Teatro Praga. Se, porventura, é apanhado no Politeama, morte será a pena mais leve.

. Copos só no Intendente, noitadas só no Lux, único sítio onde lhe é permitido cruzar-se com seres de outras espécies.

. Música, só deverá ouvir bandas escandinavas, ou com um número mundial de fãs inferior a 3000.

. Roupa em segunda mão é um must, mas deverá ser adquirida em Londres. Em Lisboa, pode frequentar a Feira das Almas mas sempre com a ressalva que andará por lá unicamente para ser visto. A compra efetiva não é permitida.

. Ir ao cabeleireiro, só se for no Bairro Alto e nunca deverá pagar menos do que 40€ para cortar as pontas.

. Um ser deste tipo, em tempo algum, poderá calçar uns ténis que não tenham sido descontinuados no mercado, portanto, anteriores a 1990.

. O Hipster tem como obrigação esconder todas as tatuagens cliché que fez ao longo da vida como estrelinhas, tribais no fundo das costas e afins. Piercings em cima, ao lado e em baixo do lábio, idem.

. Se for do sexo masculino deverá manter uma barba além dos 7cm e, se for gaja, uma franja digna.

. Por último, tem que usar óculos mesmo com visão 5.

Ahhh e nunca se deverá assumir como Hipster, claro.

Não será um pouco triste viver nesta falta de liberdade?

Obrigada pelo vosso tempo Divas.

Love,

D,

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s