Diva vê finalmente as 50 Sombras de Grey.

Disse que jamais me deslocaria ao cinema para ver as 50 Sombras de Grey porque não me apetecia encontrar, no mesmo espaço, miúdas de 15 anos com a pita aos saltos, casais de Chelas com blocos de notas, velhas ressabiadas a morderem-se de frustração, ou grupos de solteironas babosas a espumar boca fora por ver um gajo de chicote na mão.

Disse e cumpri.

Não fui ao cinema, é verdade, mas vi o filme do ano em casa no outro dia.

Vá, não resisti.

Partilho convosco algumas conclusões que retirei desta obra cinematográfica:

– Ao contrário do que se pensa, não é filme para ver com o namorado. O Grey é um pequeno que desperta nos homens muita inveja e nas mulheres um imenso rebarbanço inconsciente. A probabilidade deste visionamento a dois acabar em discussão é bastante elevada.

– As cenas de sexo do filme não me dizem muito. Para quem viu a Ninfomaníaca, ou a Vida de Adèle, as 50 Sombras de Grey são pouco mais picantes que os Simpsons.

– O facto da protagonista ser virgem quando vai parar às mãos do Grey, fez-me lembrar quando vejo um filme que até estou a gostar e, de repente, aparece um monstro que descredibiliza tudo. Não consigo encaixar.

– Também não achei bem que a melhor amiga da Anastasia fosse tida como uma baratucha. Qualquer uma, ao lado de uma virgem com quase 30 anos, parece uma putéfia. Não é justo.

– O Grey é um depravado muito suave. Nem obrigou a pequena a fazer de cinzeiro, nem a beber água da sanita, ou a envolver-se de azeite e gemas de ovo… acho que lhe faltou imaginação. As praxes da Lusófona são mais criativas.

– Fiquei com a sensação que, depois do filme, todas as bardajonas do bairro vão fazer da despensa lá de casa o seu Red Room. Como as pobres não têm a guita do Grey, os cintos da Dolci Gabbini vão substituir o chicote, as meias vão passar a vendas, e a colher de pau… bem, que seja o que Deus quiser.

– O Grey é tão rico mas tão rico que, na vida real, nem precisava ser tão giro. Mas pronto, nós agradecemos.

Ele é a coisa mais interessante do filme.

Porque é um BOM ator, claro.

Love,

D.

Anúncios

3 Comments

  1. Não poderia deixar de dar uma sugestão de assessório indispensável para um quarto do prazer de curto orçamento e pequeno espaço. Em vez da aranha de fazer massagens na cabeça, que tanto prazer dá a Miss. Steele em muitas das educativas descrições da famosa obra, porque não uma visita ao Chinês para comprar uma escova de piaçaba e outros utensílios mais.
    Basta apenas usar a imaginação e o céu é o limite.

    Gostar

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s