Diva e o Happn.

Se me seguem saberão, certamente, que amo fazer investigações sobre este novo mundo. O mundo das aplicações de encontros.

Acho maravilhoso podermos assistir a este fenómeno in loco para que um dia, eventualmente, possamos dizer aos nossos netos que conhecemos o avô através de um superlike. O que é certo é que antigamente havia gente que se correspondia por carta, agora quase não precisamos falar se soubermos utilizar os belos dos emojis.

Hoje, como já devem ter percebido, vamos falar sobre o Happn.

Esta app funciona através de geolocalização, fazendo com que tenhamos acesso ao perfil dos desgraçados que passam pelos mesmos sítios que nós.  Apesar de, claramente, incentivar  ao stalking, esta ferramenta tem um claim super inspirador:

“Encontra quem se cruzou contigo” – dizem eles.

A mim pareceu-me uma proposta razoável tendo em conta que todas sonhamos encontrar o amor à primeira vista. E se tal acontecer no Metro, no café da esquina, ou na zona de congelados do Pingo Doce, bastará apenas procurar o felizardo no catálogo que a app dispõe e fazer um “gosto”. Se ele também gostar da nossa pessoa, pimbas, gera-se um crush. Depois é esperar que o animal mande a primeira mensagem.

Meninas, nós não mandamos a primeira mensagem, atenção, mais dignidade, ok?

Deixo-vos alguns dados para melhor refletirem sobre as vantagens e desvantagens desta ferramenta:

Enviar “Charmes”

Se quisermos ser “cara podre” e não esperar que a pessoa passe por sorte pelo nosso perfil, podemos enviar-lhe um “charme”. No fundo trata-se de uma espécie de alerta que o contemplado recebe, dizendo Diva enviou-te um Charme, como quem grita “Estou aqui, otário, estou aqui!!”.

A mim parece-me demais enviar uma coisa destas mas… confio no vosso bom senso.

Também vim a perceber que os homens gastam créditos quando enviam este SOS às meninas, enquanto que nós, mulheres, temos direito a “charmar” sem limites. É um género de Ladies Night com charmes à balda. O problema prende-se com o facto dos “modelos” que figuram no catálogo serem dignos de um filme de terror de série C. Mas acreditar é viver fofas. ❤

Os Vizinhos 

Aqui está uma das questões que nem sequer nos ocorre quando instalamos um monstro destes no nosso smartphone. Os vizinhos, por estarem sempre no nosso raio de ação, estão sempre presentes na “oferta” e, consequentemente, também em constante visionamento da nossa fronha na montra feminina de perfis. Bater no fundo é receber um “charme” do Sr indiano que trabalha na loja de conveniência da nossa rua. De facto, já tinha achado estranho vender-me bebidas alcoólicas depois da meia noite sempre de sorriso nos lábios. Há males que vêm por bem, lá está.

Atenção à Idade

Como existe a possibilidade de filtrarmos o público consoante a faixa etária que queremos atingir, é importante dar um desconto de pelo menos 5 anos aos meninos depois dos 30. Tenho visto carinhas larocas dignas dos 45 anos a dizerem que têm 30 para não serem excluídos. Já não basta às vezes parecerem altos quando na verdade são anões, ainda nos aparecem com mais 10 anos. Atenção girls, muita cautela.

O encontro

Eu tenho para mim que o primeiro encontro deve ser marcado sempre num sítio público. Fnac do Colombo pode ser uma boa. Primark, também não é má ideia. Qualquer local é adequado desde que tenha multidões e nos possamos esconder para ver o “bicho” de longe, antes de nos darmos à morte. Se não for do vosso agrado, fujam. Ninguém leva a mal. Este pessoal das aplicações passa a vida a fazer esta merda.

Salve-se quem puder. ❤

Boa sorte.

Love,

D.

 

Anúncios