Diva e os “Pesentes” de Natal

Apesar de não adorar o Natal, de estar claramente cansada dos amigos secretos, ocultos, misteriosos, e dos mil e um jantares que acontecem como se fôssemos morrer amanhã, conto ser presenteada pelos meus amigos e familiares mais próximos.

E, por ser uma mulher prática e bem resolvida, decidi colocar aqui a minha lista de “pesentes” de Natal:

Uma empregada doméstica

Não é assim tão caro e dá-me imenso jeito. Além do mais é uma prenda prática. Escusam de se aborrecer à procura do pijama mais foleiro da Primark e de lidar com aquela multidão de primitivos da linha de Sintra, famintos por meias e cuecas a 1€.

Um bebé chinês 

Como encontrar o pai dos meus filhos está complicado, agradecia imenso que me oferecessem um bebe chinês pelo Natal. O meu instinto maternal começa a apertar e não há nada mais amoroso que um bebé sem olhos. Por outro lado, são um investimento. Fazem muito sucesso nas redes sociais quando são obrigados a dançar frente a uma camera e aos 9 anos já estão bons para trabalhar. Alguém tem que ajudar nas contas lá de casa, não?

Um Singstar com métricas que avaliam a perfomance em palco.

Este jogo tira-me do sério. Não consigo compreender como é que podemos ser avaliados unicamente pela voz. E a presença em palco? O carisma?! Acho absolutamente indecente e não vou mais brincar a esta palhaçada. Quase de certeza que no Japão já pensaram nisto. Seria uma bela surpresa para animar a família mas, sem regras dignas, estou fora deste jogo de cobardes.

 Uma chaves de casa extra

Parece despropositado mas não é, acreditem. Ando há mais de 1 ano para fazer umas chaves suplentes e nunca tenho paciência para cumprir essa tarefa. Acho que seria para lá de simpático receber este “pesente” de natal. Chega de viver em pânico sempre que não ouço aquele tilintar à porta de casa.  Chega de ter pesadelos com os Bombeiros e com as Chaves do Areeiro. CHEGA!

O James Franco.

Não custa sonhar, pois não? ❤

Feliz Natal Divas.

Love,
D.

Anúncios