Diva avalia Corredores

Esta é a altura do ano em que vemos tudo o que é gorducho a correr ao relento, para chegar ao mês de agosto com menos meio quilo no bucho. É uma meta como outra qualquer, cada um tem a sua, e eu tenho muita consideração por pessoas que traçam objetivos na vida. #semjulgamentos.

Contudo, ao ver-me rodeada por amantes desta modalidade, decidi pensar um pouco mais profundamente sobre estilos, e formas, de exercitar o corpo a toda a velocidade.

Segue, portanto, a minha avaliação:

. O Corredor que se prepara para o Fim do Mundo.

E vai com a tralha toda atrás para uma corrida que todos sabemos que não vai durar mais do que 20 minutos. Ele leva mochila, ele vai de água colada à perna, telemóvel pregado ao pulso, headphones na cabeça e ainda, se estiver muito calor, uma toalha húmida à cintura para refrescar. Este indivíduo carrega tanta merda às costas que mais valia ir de Tuc-Tuc, e ir abanando os braços, para exercitar qualquer coisa. Coragem!

. O Corredor que pensa que vai para o Ironman. (a prova mais difícil de todos os tempos)

Esta é a espécie de corredor com atitude feroz e invencível, que faz crer ao Universo que corre há anos e com mestria. Na verdade, faz esta coisa de mexer o corpo todo, ao mesmo tempo, uma vez de 2 em 2 meses. Como a frequência de exercício é pouca, a pica naturalmente é extrema. Por esse motivo, anda pela cidade armado em atleta de triathlon sempre que se lembra de encarnar o desportista. Ele sobe e desce escadas, salta muros, anda de gatas pelos viadutos e, de cara raivosa, atravessa estradas sem parar no semáforo vermelho. Vida bimensal ao limite.

. O Corredor Hipster 

Todos nós sabemos que a Nike e a Adidas, por exemplo, um dia pensaram que seria interessante criar uns ténis que fossem capazes de suportar o corpinho enquanto este está em esforço, a praticar desporto. Questões como controlo de impacto, suporte à postura e até mesmo conforto, devem ter sido alguns requisitos para a criação dos ténis de corrida. Digo eu. Pois bem, que interessa isto para um hipster, meus amores? N-A-D-A. Hipster que se valha, corre com Vans, Superga, Sanjo. Grande bem-haja para vós meus queridos e um grande welcome hérnias!

O Corredor Sofrido

É o tal que ainda agora saiu de casa e já está a transpirar do buço. Depois de 5 minutos a correr, já se nota na cara do pobre coitado que preferia beber 1 litro detergente, a terminar a missão a que se propôs. Persistente, a pensar no meio quilo que deve perder, continua rumo ao pódio, mas sem Norte. Anda por aí aos S´s contra tudo e todos. Se por acaso o encontramos, com aquele ar desorientado, perto de uma estação de autocarros, somos gajos para mandar parar o 746, acreditando que é essa a sua vontade. Mas desenganem-se. Ele não corre para a Carris, ele corre pela Carris, por nós, pelo Mundo. Por quem o ajudar a acabar com todo aquele sofrimento.

. O Corredor Gazela

Bom, chegámos ao único cromo que de facto corre decentemente. E nota-se bem. Expressão relaxada, braços firmes, bela passada, temos corredor profissional de street. Não perde tempo com merdices, nem mesmo para matar a sede, e veste roupa e calçado apropriado para o efeito. Questão relevante: anda por aí a pavonear-se pelo meio da cidade, entre zonas urbanas, claramente de passeio, só para meter inveja a quem ainda não meteu o cú no ginásio este ano. Informo a esta gente presunçosa que a Cidade Universitária está muito bonita, o Campo Grande cada vez mais fresco e o Estádio Nacional, um luxo! Dá para desopilarem?

. O Corredor de Praia

Não corre o ano inteiro, só come toucinho mas quando chega à praia, em vez de dar uns mergulhos, apanhar sol e relaxar, vai correr à beira-mar. Só porque sim. Cenas.

E com isto, espero ver-vos todos correr para a fantástica e maravilhosa festa LGBT do Divas em Apuros no Fontória, já amanhã, sábado, dia 24!! ❤

Love,

D.